Antena Nextel 4G 3G Rural e Marítima Internet e Celular



PAG-SEGURO


Nextel Lança sua antena 4g 3g para solucionar suas possíveis dificuldades de sinal que diga-se de passagem é grande devido a falta ou a escasses de torres 4g 3g Nextel instaladasMais Detalhes

Informações do Produto

Especificações técnicas
Marca: Sob Consulta
Modelo: Sob Consulta
Ganho: Sob Consulta
Dimenções: Sob Consulta
Peso: Sob Consulta

Antena 4g 3g Nextel
Lançamos antes mesmo de a operadora lançar seu modem 4g 3g no mercado e já é sucesso de vendas.
Antenas4g 3g lança sua antena 4g 3g em janeiro de 2012 na expectativa do lançamento tão esperado do produto 4g 3g pela operadora Nextel. Assim que o produto entrou no mercado no final de 2012 nossa Central de atendimento começou a receber chamadas de clientes Nextel de São Paulo e interior a procura de antenas4g 3g para solucionar suas possíveis dificuldades de sinal que diga-se de passagem é grande devido a falta ou a escasses de torres 4g 3g Nextel instaladas. Esperamos vender algo em torno de 2000 antenas ate final de 2013 caso a proporção de inclusão de novos clientes Nextel 4g 3g se concretize. Também estamos apostando que o nivel de fidelização de clientes de radio se mantenha com o novo serviço 4g 3g Nextel. Sabemos que isso fatalmente implicará num aumento das vendas de nossas Soluções e produtos para aumento de sinal 4g 3g Nextel. Todos sabem que o sistema de Internet 4g 3g Nextel ou de qualquer outra operadora Vivo, Tim , Oi ou Claro dependem de Antenas externas de captação de sinal 4g 3g para aumentar o nível de estabilidade do sistema e proporcionar uma navegação superior.
Mal começou a venda do Modem 4g 3g Nextel e os planos 4g 3g Nextel e tivemos um aumento nas vendas de nossa Parabólica 4g 3g de 40 dbi fora do comum. Alcançamos uma marca considerável de antenas4g 3g vendidas para o sistema 4g 3g Nextel.
Sem nenhum evento, sem nenhuma coletiva de imprensa, a Nextel resolveu trazer ao público o seu serviço de internet 4g 3g, que custará R$ 79,90 e conta com 4 GB de limite para a navegação sem cobrança extra ou diminuição da velocidade. Infelizmente o serviço está disponível apenas no estado de São Paulo, e não parece ser muito veloz.
Plano de 4g 3g da Nextel
A velocidade de navegação é de 600 kbps, abaixo da média de planos 4g 3g de concorrentes, que passam de 1 MB - 1.024 kbps. A internet, ao menos por enquanto, poderá ser acessada apenas por meio de modems, que custam - promocionalmente - R$ 24,90 junto de um contrato de um ano. Além da velocidade inferior, a cobertura é bem restrita. Apenas quem está em São Paulo, Grande ABC, Campinas, Guarujá, Mogi das Cruzes e Sorocaba poderão usufruir deste serviço da operadora que está focada no iDEN, da Motorola.
Esta novidade pode - e provavelmente irá - aumentar a base de clientes da operadora, que pode apenas vender contas para pessoa jurídica - limitação que está ligada à tecnologia iDEN. A baixa cobertura pode ser um sinal de lançamento bastante apressado, tão veloz que nem deu tempo para que as antenas pudessem ser espalhadas pela atual área de cobertura da operadora.
“Se fizermos igual aos outros, vamos dançar e bonito”, sinalizou o presidente da Nextel, Sérgio Chaia, ao falar sobre os planos da empresa para a oferta de serviços de Terceira Geração no Brasil. A ativação comercial do serviço segue agendada para o segundo semestre de 2012, mas o trabalho está grande nos bastidores.

Tanto que, hoje, cerca de 500 pessoas estão dedicadas exclusivamente à operação na Nextel Brasil e, até dezembro, empresa deverá chegar a 5000 mil sites no país. Objetivo é alcançar 80% de cobertura nacional em 2013, muito acima do imposto pela Anatel. Hoje a empresa atua em 262 cidades.
No cronograma da empresa, uma meta ambiciosa: Fechar 2017, com 34 mil empregos diretos e indiretos gerados pela atuação da companhia no mercado 4g 3g. Ideia também é triplicar a base de assinantes até 2015 - hoje está em 3,7 milhões de usuários, sendo que 70% da captação, de acordo com a companhia, acontecem por meio de indicação de próprios usuários.
Em encontro com a imprensa nesta quinta-feira, 18/08, na capital paulista, para contar como a Nextel está se preparando para entrar no mercado 4g 3g - ela será a quinta operadora a ofertar a tecnologia, Sérgio Chaia deixou claro que o modelo de atuação não será radicalmente transformado - a aposta no pós-pago e na atuação por meio de grupos, no esquema de 'clube', modelo usado a partir de 2008 - seguem como prioridades.
"Se fizermos como os outros, vamos dançar. Precisamos nos diferenciar e já elegemos a cobertura e a qualidade de serviços como itens essenciais. Vamos investir na rede funcionando em rodovias e no interior porque esse é um desejo dos nossos clientes", sustentou Sérgio Chaia.
O executivo fez questão de ressaltar que os negócios 4g 3g não vão suplantar os voltados para o iDen, tecnologia adotada até agora e fornecida exclusivamente pela Motorola Mobility, recém-comprada pelo Google por US$ 12,5 bilhões. Segundo Chaia, a ordem na Nextel é combinar Iden + 4g 3g de forma a conciliar os dois mundos.
Renovação na infraestrutura
"Teremos 4g 3g com HPPT (o push-to-talk da tecnologia), mas ele vai, sim, ser interoperável com o PPT do Iden. Temos um grupo de associados e queremos mantê-los", destacou Chaia. Na parte de investimentos, a empresa confirma o aporte de R$ 5,5 bilhões nos próximos cinco anos para ampliar a oferta de infraestrutura.
"Somos bastante deficientes nesse ponto de infraestrutura de telecom. O mercado mudou e já há um amadurecimento maior para o compartilhamento, mas temos que fazer mais", detalhou. A Nextel planeja chegar ao final do ano com 5000 sites ativados. Ao mesmo tempo, constrói cinco novos centros de gerenciamento de chamadas para conciliar os serviços iDen e 4g 3g.
"Decidimos não correr com os nossos planos. Pela Anatel, temos que entrar até o final de 2012. Vamos entrar no segundo semestre de 2012, mas com uma cobertura muito maior do que a requisitada pela agência reguladora. E, em 2013, vamos avançar ainda mais", afirmou Chaia.

No modelo de construção de redes, revela ainda o vice-presidente de Regulatório e Negócios, Alfredo Ferrari, o modelo da Nextel aposta no uso de sites construídos por terceiros - e os custos seriam compartilhados com outros operadores.
"Há muitas empresas desse tipo de atuação querendo vir para o Brasil. Esse modelo - onde a gente até banca, inicialmente, um valor maior de aluguel do site até outras operadoras utilizarem - é bastante positivo para o mercado de telecom. Quanto mais backbone, quanto mais backhaul, quanto mais infra, melhor para todos", destacou Ferrari.
Uma negociação com a Telebrás não está descartada. "A Telebrás desponta como uma nova operadora para negociarmos infraestrutura. Ela nos ajudará e muito", completou. Em dezembro de 2010, a Nextel comprou 11 dos 13 lotes da banda H, em leilão promovido pela Anatel. A empresa pagará R$ 1,3 bilhão pelas licenças ao órgão regulador.
Futuro próximo
Indagado sobre a expectativa criada no mercado para a entrada da Nextel no mundo 4g 3g, Chaia diz que a simples compra das licenças já movimentou o setor. "Nossos rivais parecem muito mais interessados em criar produtos para nos combater (referindo-se ao Vivo Direto e o Liberty, da TIM) do que competir entre si. Todos os olhos estão voltados para o nosso negócio. Só por isso, já ajudamos bastante a tornar o mercado mais competitivo", enfatizou Chaia. E rebateu a tese que a Nextel ficará concentrada nos clientes das classes A, B e C+.
"Não apostamos no modelo pré-pago de alta rotatividade e continuaremos não apostando. Mas vamos ter serviços para diversos públicos com pacotes. Estamos conquistando uma base de pré-pago que quer pagar por um serviço que atenda a sua necessidade. E no 4g 3g vamos fazer o mesmo", frisou o presidente da Nextel Brasil.
Ao falar sobre o 4G - espera-se que já em 2012 se tenha pilotos com o LTE no Brasil para oferta do serviço nas Copas das Confederações, agendada para 2013 - o grande teste antes da Copa do Mundo - Chaia deixou claro que analisa a ideia de participar do leilão de 2,5GHz, previsto para abril do ano que vem.
"Espectro é sempre avaliado e necessário", frisou. Mas garantiu que aposta no sucesso da demanda 4g 3g. "Os clientes não estão satisfeitos. Eles querem mais do 4g 3g e vamos dar. O 4G não será para todos no momento inicial", complementa o executivo.







INSTALAÇÃO
ARTIGOS
MÍDIAS SOCIAIS
Facebook Twiitter